terça-feira, 12 de outubro de 2010

Chegamos em São Paulo e fomos direto para um bar que fica perto da casa da Anelise, o bar do Otávio. Sempre que vou para lá, vamos nesse bar e encontramos pessoas conhecidas. É como se fosse um ritual.
- Oh menina, você aqui de novo? - Otávio falou pra mim.
- Mais uma vez Tavinho. E sempre que puder. - Respondi.
- Não sei porque ela não muda para cá de uma vez. - Ane disse.
- Cerveja? - Otávio perguntou.
- Não, hoje vai coca mesmo, que a recassa tá grande. - Ane brincou.
- Anelise? Você tomando coca-cola? Negando a cerveja? - Otávio brincou.
- Para você ver.
Começamos a conversar, beber coca-cola e comer batatas-fritas. Até que apareceu o Fernando, 21 anos, estudante de publicidade. Um amigo nosso, que já tinha morado no Ap da Ane e mudou à pouco tempo para morar mais perto da faculdade.
- Liz, você aqui? - Ele veio me comprimentando.
- De novo, e dessa vez você nem está lá no Ap para a gente sair, fazer farra. - Ri.
- Dá nada não, eu durmo essa semana lá com vocês. Até que dia você fica aqui? - Fernando falou.
- Uma semana. - Respondi.
- Ah, então tem tempo. Vou indo porque os meninos estão no carro me esperando, passei só porque vi vocês aqui. - Ele falou.
- Manda os meninos descerem. - Ane falou.
- Ah, eles estão com pressa. Amanhã eu ligo para vocês, e a gente combina de sair. - Ele falou já se despedindo.
Logo depois que o Fernando saiu, chegou um amigo nosso. Walter, não sei bem quantos anos, e nem sei sua profissão, com a namorada.
Sentaram na mesa com a gente e começaram a conversar. O Walter mora com o João, e eu não havia ligado para ele ainda, avisando que estava em São Paulo. E eu estava achando que o João estaria viajando a trabalho, então não tinha muita certeza se ele estaria lá. De todo o jeito, o Walter iria contar que eu estava na casa da Ane.
Anelise, resolveu então perguntar como quem não quer nada sobre o João.
- E o João?
- Não sei, tem dias não o vejo. Deve estar viajando. - Ele respondeu
Ane olhou para mim, mas não falei nada. Continuamos apenas conversando coisas atoa, até o final da noite. Walter nos deixou na casa da Ane, quando fomos embora.
- Vamos combinar de sair essa semana. - Ele falou.
- Demoro. - Ane disse.

Quando entramos, ela olhou para mim e perguntou.
- E aí, vai ligar para o João?
- Não ainda. - Respondi.
Não falamos mais sobre o assunto. Mas sabia que não ficaria somente naquilo. Quando se trata do meu caso, se assim posso chamar com ele, sempre fica nesse tal de ainda.

10 comentários:

Kammy disse...

Oi Lizzzzz
adorei quero mais como sempre rss
mil beijinhos
kammy
ps: feliz dia das criancas

Deb disse...

Vish, mas liga pra ele rsrs. Tá em SP ainda? Bjs

Yasmin disse...

Você é complicada hein amiga? Tá looco! Te cuidaa

Shirley Mello disse...

Adoro enrolar também, é a minha praia...rs
Bjs...

subindonosalto.com disse...

Ai geeeeeeeente hahaha
Quero saber mais :D

:*

Mimo Chic disse...

Querida Liz , navegando na net encontramos seu blog, muito bom, suas aventuras bem realistas, aiaiai sempre temos que passar por algumas situações, heim?
bom , bj
Lulu & Sol
te esperamos

Haylla disse...

Oi flor, aproveita então que a paleta esta baratinha, estou vendendo pelo preço que minha irmã comprou, por que ela trouxe duas do exterior para mim, mais como vem com muito produto eu resolvi vender a outra de bases e corretivos e a de sombra. Xerinho

Carla disse...

Liz, um dia quando vc estiver em SP (e eu tb) a gente ainda tem que combinar de sair pra tomar uma dose de martini. rsrs.

Adorei a história, quero saber mais! rsrs.

Beijinhos

Káh Menezes. disse...

aai amei o post, flor desculpa a demora para responder ta!?
depois me avisa se o pudim deu certo! kkk
Beeijos!
www.universoblue.blogspot.com

Liz Marinho disse...

não é rolo, é um tal de orgulho sabe?